•  Faculdade
•  50 anos de educação e fé
•  Os idealizadores
•  As aulas noturnas na Escola Americana
•  Ensino e comunhão no sítio em Mairiporã
•  A FTML chega a São Paulo
•  50 anos: novas conquistas, novos projetos
•  Cronologia
•  Entrevista



OS IDEALIZADORES

Aumentar Diminuir
| imprimir |

Para compreender a história da FTML é preciso voltar no tempo, rumo à década de 20, e entender como a própria Igreja Metodista Livre chegou no Brasil. Afinal, ambas as histórias – da faculdade e da chegada do Metodismo Livre em terras brasileiras – estão entrelaçadas.

Em 1928, o pastor Daniel Nishizumi partiu do Japão para o Brasil, a fim de evangelizar a colônia japonesa que então estava se estabelecendo em São Paulo. Assim como ele, outros pastores fizeram o mesmo, chegando aqui em fins da década de 20 e início da década de 30. Nomes como Yoshikazu Wada, Shoh Koh Cho, Seiti Simizu e Skeiti Ono foram alguns dos precursores do Metodismo no Brasil.

O trabalho missionário realizado por eles não foi fácil. O pastor Nishizumi e seus colegas não receberam nenhum apoio financeiro ou patrocínio para a viagem. Vieram por conta própria, movidos pelo grande ideal de evangelizar o Brasil. Aqui chegando, realizavam pregações diárias, mas também tinham de trabalhar para se sustentar. Alguns deles então optaram por se dedicar ao ofício de educadores. O pastor Ono, por exemplo, começou a lecionar na cidade de Embura. E o pastor Nishizumi encontrou trabalho como professor numa escola japonesa em Mairiporã.

No exercício dessa atividade, o pastor Daniel Nishizumi percebeu o quanto a educação era importante e que o sucesso do trabalho missionário no Brasil também dependeria de investimentos neste setor. Assim, solicitou  ajuda à Igreja Metodista dos Estados Unidos, para que fossem enviados missionários para cá, com o perfil de educadores e com o intuito de fundar escolas. O pedido foi atendido. Em 1946, chegaram aqui as primeiras missionárias e educadoras, Hellen Voller e Lucile Damon.

Vítima de um atropelamento em junho daquele ano, o pastor Nishizumi não teve a chance de contemplar o resultado de seus esforços. A vinda das duas missionárias e de outros pastores norte-americanos foi fundamental para a criação de uma Escola Dominical ligada à Igreja Metodista. Mais tarde, os pastores brasileiros, trabalhando em conjunto com os missionários estrangeiros, lançariam as sementes para um projeto de educação ainda mais amplo: a fundação de uma Faculdade Metodista Livre no Brasil.


R. Pirapitingui, 165 - 3º andar - Liberdade - São Paulo - SP (prox. ao metrô São Joaquim) - (11) 5579-4629 - Horário de atendimento: 13h30 às 20h30